Dados de acesso incorretos.

DESTAQUE

Professora leva cartas aos alunos em meio a quarentena

Professoras Pamella, Terbia (Diretora) e Celia (Coordenadora)

Mudanças aconteceram em todos as partes do planeta com a chegada da Covid-19, mas isso não impediu a professora de física Pamella de Almeida, observar que seus alunos do 3º ano do Ensino Médio, precisavam de um incentivo. Trabalhando na mesma escola há mais de 2 anos, a professora pôde notar a apreensão dos formandos. Afinal, é um ano decisivo na vida de qualquer adolescente prestes a se formar. Hoje, além da escolha de uma profissão, eles precisam lidar com os estudos a distância e as circunstâncias que a pandemia trouxe. Analisando essa situação, a professora não pensou duas vezes, juntou sua paixão por escrever, seu anseio em confortá-los e transformou em cartas escritas a mão.
 
Tudo começou quando a Pamella frequentava o ensino básico. Lá ela recebeu uma carta de um querido professor, que dizia como a sua dedicação e esforço faziam dela uma ótima aluna, “aquilo me fez bem, minha mãe ficou super orgulhosa”, comenta ela. Usando esse exemplo, a professora de física do Colégio Adventista de São Caetano, decidiu fazer o mesmo com seus alunos, sentiu que precisava ajudá-los de alguma maneira. Além do preparo das aulas, se dedicou em escrever para os seus alunos.

Como se não bastasse escrever cada carta, Pamella decidiu ir até a casa de cada aluno, e pessoalmente entregar as cartas, com todos os cuidados. “Alguns ficaram preocupados e assustados, mas quando eu explicava, ficavam surpreendidos e me diziam que era bom poder ver o rosto de um professor”, fala a professora. “Alguns pais receberam as cartas pelos filhos, me agradeceram”, completa ela. Seu maior desejo era poder abraçá-los, mas sente que muito em breve poderão fazer isso.

A professora entregou todas as cartas em um único dia, mesmo concluindo seu objetivo cansada, obteve um sentimento único, “foi o dia da pandemia que eu me senti melhor. Eu escolhi a carreira docente, porque um dia meus professores fizeram a diferença em minha vida. Eu sei que sou responsável por passar bons exemplos aos meus alunos também”, diz ela com satisfação.

Pamela olhou com o coração e entendeu que uma formação só é completa com apoio. Por isso, juntou os números, que se dedicou para seguir uma profissão, e as palavras que leva com ela por hobbie, para levar esperança de dias melhores aos seus alunos. “Quando tudo passar, quero abraçá-los e continuar dizendo como eles são importantes para mim, quero poder vê-los sorrindo”, conclui. Seu projeto não para por aí, a professora Pamella ainda tem muitas cartas para escrever.

LINKS

ACESSO RÁPIDO

CONTATO

CONEXÕES